• Rifosi

Cordas para violão NÃO SÃO tudo a mesma coisa!


Existem diferentes tipos de cordas para violão ou guitarra com resultados bem diferentes

Sem cordas, violões e guitarras não produzem som nenhum, mas boa parte dos músicos sabe muito pouco sobre eles. A moderna tecnologia de fabricação de cordas é um milagre da engenharia de precisão, da qual todos nós nos beneficiamos quando tocamos qualquer instrumento de corda, do mais barato ao mais caro. Este artigo examina mais de perto os vários tipos de encordoamento e informa como obter o máximo deles.

Entendendo o básico

Todo mundo que toca sabe que cada uma das seis cordas do violão (ou da guitarra) apresenta espessura (ou bitola) diferente uma da outra. Dependendo da posição em que é usada, a corda é mais grossa ou mais fina, é lisa ou encapada, etc.. Em vez de comprar cada corda avulsa, a maioria de nós prefere já comprar um jogo padrão com todas as cordas, de acordo com a sua preferencia. Um jogo de cordas, ou encordoamento, é projetado para (teoricamente) fazer todo o conjunto de cordas funcionar bem entre si - em outras palavras, as cordas que compõe o conjunto são escolhidas de forma a proporcionar uma sensação gradual de maior peso, ou tensão, na sequencia da primeira corda até a ultima. Ou seja, a primeira corda (mizinha) passa a sensação de ser mais leve que a segunda corda, que por sua vez parece mais leve que a terceira corda, e assim por diante até a ultima corda. Alguns musicos mais experientes misturam cordas de diferentes jogos criando combinações incomuns, com o objetivo de se adequar à um estilo específico de tocar, ou à uma afinação especifica do instrumento.

Calibre

Uma das propriedades básicas de qualquer corda é sua espessura, ou calibre. Esse número costuma ser informado em polegadas e, às vezes, também em milímetros. Por exemplo, um calibre bem comum de corda “mizinha” para guitarra é o calibre 0.010” (polegadas), que equivale a 0,25 mm (milímetros). Aqui no Brasil costumamos nos referir à esta corda como “zero dez”. Muito embora esteja escrito na embalagem dos jogos de corda termos como "leve", "pesado", etc., a maioria de nós usa apenas o calibre da corda mais fina para se referir ao conjunto todo, como por exemplo, um "jogo de zero dez", ou um "jogo de zero nove" (referindo-se neste caso à corda "super leve" calibre 0.009”).

Cordas lisas e encapadas

Existem no mercado cordas feitas de vários materiais diferentes e em várias combinações, mas quase todos os encordoamentos combinam cordas lisas e cordas encapadas com algum tipo de fio, estas ultimas também conhecidas pelo nome de bordões quando se referem às três cordas mais grossas do violão (E, A, D). As cordas lisas são feitas de um único material - geralmente algum tipo de aço ou nylon - enquanto as encapadas combinam um núcleo interno com um enrolamento externo, geralmente de um material diferente. No violão e na guitarra, as cordas destinadas a produzir notas musicais mais agudas são geralmente lisas; por outro lado, as cordas destinadas a produzir as notas musicais mais graves são normalmente encapadas. As letras "p" (de plain) e "w" (de wound) são normalmente usadas ​​para diferenciar os dois tipos um do outro: em inglês, plain quer dizer liso, e wound quer dizer encapado. Como as duas cordas mais finas (B e E) são quase sempre lisas, e as três mais grossas (E, A, D) são quase sempre encapadas, essa informação é frequentemente aplicada somente à terceira corda (G), que pode tanto ser lisa quanto encapada dependendo do tipo de violão/guitarra e do estilo musical para o qual o encordoamento é recomendado. Por exemplo, as cordas em um jogo padrão de “zero dez” para guitarra são geralmente descritas na embalagem como '010-013-017p-026-036-046', indicando neste caso que a terceira corda (G) é p, ou seja, é lisa (plain).

Obs.: No contrabaixo, como seria de se esperar, todas as cordas são encapadas visto que são afinadas de modo a produzir notas musicais situadas uma oitava abaixo das cordas mais graves correspondentes do violão/guitarra.

Roundwound e flatwound

Cordas encapadas são fabricadas em alguns tipos diferentes. As mais comuns são as de fio arredondado, nas quais o enrolamento é feito com fio de perfil redondo, como na figura acima. Isso resulta em uma superfície externa com relevo, ou seja, não são lisas quanto se passa o dedo sobre elas.

Obs.: Em inglês, esse tipo de corda encapada é chamado de roundwound, e é assim que normalmente aparece escrito na embalagem.

Existe também um outro tipo de corda encapada no qual o núcleo é enrolado com fio de perfil quadrado, ou em inglês, flatwound. Veja a imagem acima para entender melhor. Isso resulta em uma superfície externa mais lisa e suave ao toque dos dedos, gerando menos atrito e consequentemente menos ruído e menor desgaste (= maior vida útil da corda), além de um timbre mais encorpado do que as cordas roundwound.

Muitos músicos de jazz preferem esse tipo de corda justamente por esse aspecto, obtendo do seu instrumento um timbre mais firme, como o de um piano, mas a maioria dos músicos de rock prefere mesmo o timbre mais brilhante das cordas roundwound.

Nota: Existe um terceiro tipo de corda encapada que fica no meio termo entre a roundwound e a flatwound: são as chamadas cordas halfwound, (alguns fabricantes a chamam de groundwound) e nesse tipo o núcleo é enrolado com fio de perfil redondo que em seguida é alisado em uma máquina de modo a produzir uma superfície externa plana. Então, o fio de revestimento fica metade arredondado na parte interna e metade liso na parte externa, produzindo um timbre mais encorpado que a corda do tipo roundwound, porém mais brilhante que a do tipo flatwound.

Apesar do apelo interessante, esse tipo de corda não se mostrou muito popular devido ao seu preço normalmente mais alto, uma vez que o processo de fabricação é mais complexo e dispendioso.

Núcleo redondo e núcleo hexagonal

Tradicionalmente, as cordas encapadas sempre foram fabricadas com um núcleo de aço de perfil redondo (exceto as cordas para violão clássico, claro). Desta forma, as musicas que foram gravadas nos anos 50, 60 e 70 foram tocadas com instrumentos equipados com cordas desse tipo. Pelo fato do núcleo ter perfil redondo, o fio do encapamento fica em contato com toda a superfície externa do núcleo, favorecendo a vibração da corda o que se traduz em bastante sustentação, ou sustain, e um timbre associado aos primórdios do rock’n’roll. A figura abaixo mostra uma corda de núcleo redondo:

Já as cordas fabricadas com núcleo de perfil hexagonal são uma inovação relativamente recente. Veja bem, neste caso o termo hexagonal se aplica ao núcleo da corda, e não ao fio de enrolamento, como na figura (exagerada) abaixo:

Além do processo de produção favorecer as cordas com núcleo hexagonal (mais precisão no enrolamento do fio), os fabricantes mencionam características tonais superiores relacionadas à este tipo de corda, como afinação mais acurada. Embora haja pouco consenso sobre isso, já se observou que o enrolamento sobre a superfície hexagonal produz irregularidades no padrão de vibração da corda, o que em alguns casos levou a um maior desgaste nos trastes do instrumento, quando comparado com o mesmo tipo de desgaste gerado pelas cordas com núcleo de perfil redondo.

Seja como for, existe no mercado mais oferta de cordas de núcleo com perfil hexagonal do que as de perfil redondo, o que mostra a sua grande popularidade perante aos músicos.

No próximo artigo vou me aprofundar um pouco mais sobre os diferentes materiais usados na construção das cordas, e no que isso faz diferença na prática.

Enquanto isso, caso queira experimentar algum encordoamento diferente ou simplesmente esteja precisando trocar do seu violão ou guitarra, dê uma conferida na lojinha aqui do site em https://www.rifosi.com.br/loja

Abrx!

#cordasparaviolão #Cordasparaguitarra #cordaparaguitarra #cordaparaviolão

459 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo